O que é e como funciona o exame de ureia e creatinina?

Publicado em 18/04/2017 13:45h

Post Notícias Curiosidades

73985 Visualizações

O que é e como funciona o exame de ureia e creatinina?

A creatinina e a ureia são substâncias presentes na circulação de todos os seres humanos e podem ser dosadas através de um exame de sangue ou de urina. O exame de ureia e creatinina é indicado sempre que houver suspeitas de alguma disfunção nos rins.

A partir das proteínas provenientes da alimentação, a creatina fosfato é produzida. Esta, é uma espécie de combustível para os músculos, de forma que eles possam realizar as tarefas cotidianas. A creatina fosfato é armazenada nos músculos e produzida pelo fígado, dela produz-se uma espécie de lixo metabólico, chamado de creatinina. Portanto, depois de usada, a creatina fosfato é transformada em creatinina e deverá ser eliminada através da urina.

A ureia é também produzida a partir da metabolização de proteínas e, assim como a creatinina, deve ser eliminada pelos rins. O exame de creatinina e ureia é destinado ao estudo do bom funcionamento dos rins, visto que quando há disfunções nestes órgãos, há alterações nos índices das substâncias em questão.

 

Para quem é indicado o exame?

Pessoas que sofrem de hipertensão, diabetes, que tenham mais de 50 anos, histórico de doença renal na família, que usem anti-inflamatórios cronicamente, que tenham anemia, edemas, doenças cardíacas ou infecção urinária frequente devem ser submetidas ao exame. Além disto, obesos e fumantes devem ter atenção, pois estão também enquadrados no grupo de risco para doenças renais.

 

Quais são os preparativos do exame?

Para a realização do exame é necessário apenas fazer um jejum de, no mínimo, 8 horas e, no máximo, de 16 horas. O procedimento é simples, rápido e praticamente indolor, sendo que uma amostra de sangue será colhida da veia do braço para tanto.

Em algumas circunstâncias, pode-se também solicitar um exame de urina para comparação. Importante lembrar que o profissional deve ser informado de todos os medicamentos dos quais se faz uso, de forma a não haver interação e de não atrapalhar os resultados.

 

Como as amostras são analisadas?

Os padrões de análise destes exames definem que os níveis normais de creatinina ficam entre 0,6 e 1,3 mg/dL, no entanto, os níveis podem variar dependendo, por exemplo, se a pessoa é um atleta ou sedentária. O sexo, a idade do paciente e o peso também devem ser considerados para a análise da amostra e para o devido diagnóstico. Em geral, níveis de creatinina acima de 1,5 ou 1,6 mg/dL representam doença renal.

Após o procedimento é possível saber, portanto, o estado de saúde dos rins do indivíduo. Em casos de insuficiência renal, doenças musculares e uso abusivo de medicamentos, por exemplo, o nível de creatinina costuma dar elevado. Já em casos de doenças hepáticas, o nível de creatinina costuma ser menor do que o normal.

Com relação à ureia, os valores ficam entre 15 e 45 mg/dL. Valores aumentados de ureia podem indicar insuficiência renal, tumores, traumas e infecções, por exemplo. Já níveis diminuídos podem estar ligados à insuficiência hepática, desnutrição ou doença celíaca. Consulte seu médico para tirar mais dúvidas.

 

Fonte: Saúde Medicina

Laboratório Borborema - Medicina Diagnóstica